O CUSPO DA REVOLTA

esperança

Faz tempo que eu não escrevia, não por não ter tempo, desse tenho de sobra, bem, não é assim tanto mas a verdade é que ando ocupado com um outro projeto pessoal, um projeto adiado que espero, finalmente, concretizar mas para já, gostava de deixar aqui umas palavras dedicadas á nossa seleção.

O pessimismo anda no ar… é natural, eu próprio estou a escrever no sentido de apaziguar o nervosinho miúdo que estou a sentir. Sabem, a seleção diz-me muito… já em criança, o futebol dizia-me pouco, um pouco á imagem do meu filho, eu não tinha paciência para ver futebol, preferia de longe o D’ artacão… foi no campeonato do mundo de juniores disputado em Lisboa que me estreei realmente a ver futebol na tv, foi aí que comecei a apreciar o desporto rei, a geração de Rui Costa, o tal que o presidente do Sporting não conhece, de Luís Figo, de João V. Pinto e afins… Foram eles que me fizeram acreditar que no futebol tudo é possível, basta acreditar, enfim, basta sentir a força do querer…

A verdade é que, á semelhança de milhões de portugueses, a minha fé está num nível muito baixinho, custa manter a chama acesa depois daquela estreia no Mundial. Mas… porque tem que haver sempre um mas, esforço-me por dizer que é possível, que o jogo com a Alemanha foi uma falsa partida e que, na dificuldade, estes jogadores, estes homens que nos representam vão levantar a cabeça e vencer a adversidade, contra tudo e contra todos quantos estejam descrentes, eu incluído…

Sabemos que o futebol se tornou um negócio para megalómanos, que outros valores hoje se levantam que não aqueles apenas tidos ao campo de jogo. Essa será, provavelmente, a grande dificuldade com que se depara Portugal, um pouco á semelhança do estado do país em geral em relação a uma Europa que nos engole e nos cospe na cara uma e outra vez. Já fui cuspido por isso conheço bem a sensação, o sentimento de humilhação é algo que nos rebaixa… É assim que a seleção de Portugal se sente, desde os jogadores ao staff técnico, todos sentem que os portugueses lhes cuspiram na cara.

Podem crer que vai haver revolta, de que forma esta se vai manifestar não consigo prever mas quero acreditar que esta será uma revolta “á la Suécia”…

Queria deixar uma palavra para homenagear Rui Costa, o tal que o presidente do Sporting conhece, por mais um feito histórico… são estes momentos que fazem o nosso orgulho florescer e nos faz acreditar que tudo é mesmo possível.

Que as sensações voltem… Força Portugal!!

Boa noite!

Voar como uma águia…

DSC06101

 

 

Minuto 57… Lima recupera a bola, conduz o ataque do Benfica, Gaitán remata para defesa incompleta e Lima encosta para o golo. Antes desse minuto fatídico, as mentes dos adeptos benfiquistas giravam a mil rotações…. a confiança ia diminuindo, o fantasma da época passada começava a tomar forma. Entretanto a equipe do Benfica, os seus jogadores, lutavam com toda a alma para contrariar um cenário de assombro.

Época 2012/2013… O benfica lutava, á antepenúltima jornada, pelo título nacional e tinha duas finais á espreita. A antevisão de uma época perfeita estava no seu rubro, o Estoril era o adversário que se seguia. Era só mais um… á espreita estava o Dragão e no fim o moreirense. Todos sabemos o que aconteceu, aquela que seria a época perfeita transformou-se num pesadelo, um filme de terror que assombrou os benfiquistas… até ao minuto 57 do Benfica-olhanense!

Os adeptos voltam a respirar, os jogadores sacodem o passado e a confiança, melhor, o orgulho de se ser benfiquista surge no seu auge… Estranhei o momento do apito final por parte do árbitro Carlos Xistra, não festejei como pensava que o faria… primeiro pensei que era por estar a beber água, estou a sofrer de um joelho e não podia beber álcool. Também não podia saltar, ainda o tentei fazer no primeiro golo de Lima mas depressa me arrependi. Chegado a casa, com mais calma, apercebo-me que não passa por aí, passa sim por um sentimento que já vivi antes, de quando o meu filho foi diagnosticado com a maldita doença que é o cancro. Também não chorei logo… chorei mais tarde, quando me fui apercebendo do que me estava a passar, quando as defesas começaram a baixar. É uma sensação de anestesia e agora sinto-me na mesma… os motivos são diferentes, as emoções também. Sei que vou chorar, não hoje, talvez amanhã ou no dia seguinte mas vai acontecer.

Este minuto 57  significa, mais que a libertação, significa o culminar do pessimismo. Luisão corre com a taça, procura Jorge Jesus, o Seu treinador, e Luís Filipe Vieira, o Seu presidente. Acho que é isto que significa ser Capitão de equipe… os jogadores são heróis óbvios mas existe um mundo por trás desses mesmos heróis. LFV teve, com certeza, noites muito mal dormidas no seguimento do final da época passada. Principalmente no que toca ao seu treinador…. os adeptos queriam sangue, eu incluído. Não dava para perdoar aquilo, o sentimento era de traição e o treinador era o alvo preferido a ponto de muitos (Muiiiitos) terem aplaudido a atitude de Óscar Cardozo, no Jamor! Eu incluído, claro….

No seguimento de todo este desastre, os abutres rondavam, Pinto da Costa aguardava serenamente pela decisão óbvia que haveria a tomar na luz. Dispensou o seu treinador Bicampeão, deixem-me repetir isto, Bicampeão e esperou… esperou sentado pois LFV tomou, talvez, a decisão mais complicada do seu percurso na luz, a decisão menos popular do universo benfiquista que, repito, clamava por sangue. O inicio da época parecia confirmar aquilo que todos os adeptos pensavam, o ciclo de Jorge Jesus parecia ter terminado e uma época de tristeza parecia afigurar-se como um cenário confirmado.

Minuto 57… este é o minuto de Luís Filipe Vieira. Um minuto de coragem, o exemplo de como uma decisão suicida se tornou numa das piores épocas desportivas do F. C. Porto e numa época de glória para o clube que defende como poucos. Os adeptos agradecem, na hora da vitória, todos gritam pelos jogadores, clamam pelo seu treinador, outra vez indiscutível…. Eu clamo por LFV. Ele é o meu herói, o grande responsável por todas as emoções que jorram por esse país fora. Não sei se são 6 milhões mas são muitos, muitos, de certeza. Dentro e fora deste pequeno país…

Não sei como vai acabar esta época mas tenho esperança que os adeptos olhem também para os heróis improváveis daí que este texto significa  o meu “mea culpa”, Presidente, você é o grande obreiro da minha alegria.

Obrigado!

 

UM CHORO SILENCIOSO

natureza

Se, em meados dos anos 90 alguém me dissesse que hoje estaria a viver á beira da 3ª guerra mundial, eu não acreditaria… mas cada vez que vejo os noticiários a sensação que tenho é que andamos sobre fios muito frágeis, muito sensíveis… os atropelos á dignidade humana são cada vez mais frequentes, aquilo que se via na tv nos países sul-americanos e africanos, por exemplo, começa a ser um cenário cada vez mais visto na Europa e isto começa a ser assustador.

Apetece-me dizer que nem Obama, presidente do todo poderoso Estados Unidos e nobel da paz, consegue safar isto… uma das razões para todo este cenário apocalíptico passa pelo escassear dos recursos energéticos no mundo. O petróleo é a base do nosso mundo, ninguém se iluda, se o petróleo acabasse amanhã estaríamos em sérios riscos de retroceder no tempo. Com isto quero dizer que o petróleo permitiu que a civilização evoluísse ao ritmo que hoje se vê… todos os derivados deste produto, que os nossos antepassados bestiais nos deixaram, estão embutidos no nosso dia a dia, se for pegar no carro-petróleo; se for ás compras – petróleo; até se acender a luz em casa – petróleo, petróleo, petróleo….

A questão é aquela que todos vocês sabem pois estamos constantemente a ser alertados para o assunto, o petróleo é um recurso finito, não vai durar para sempre. Há quem diga que as grandes autoridades mundiais têm isso sobre controlo, que haverá maneiras de contornarmos o assunto e que tudo isto apenas serve para encarecer o produto e enriquecer alguns mafiosos. Talvez, talvez não…

O que eu sei é que todos podemos contribuir para uma melhor gestão dos recursos que temos á disposição, vocês sabem, coisas como selecionar o lixo, não deitar lixo na rua, aproveitar horários para ligar máquinas em casa, poupar na água ao lavar a loiça e no banho, enfim, evitar desperdícios que no nosso dia a dia parecem irrelevantes mas que multiplicado por milhões têm uma enorme relevância. Temos inúmeros problemas ecológicos que nos poem literalmente entre a espada e a parede: de um lado a ganância humana, do outro a natureza que se revolta. Para onde irá pender, essa é a questão do milhão de dólares!

Lembrei-me de falar nisto porque tive conhecimento de uma iniciativa que acho muito gira, muito social e, principalmente, global. Como alguns de vós deverão saber, sou um fã da marvel, estou em pulgas para que saia o novo filme do homem-aranha e foi através deste que descobri esta associação á qual a equipe do filme se associou para dar mais visibilidade á Earth Hour. Este é um movimento que tem criado um impacto enorme no mundo, tem a ver com a união das pessoas para melhorar o planeta. Vejam o vídeo que vos deixo, em baixo e deixem-se contagiar… E agora estão associados a um super-herói, que é o que o nosso mundo precisa, de heróis que nos façam acreditar que o mundo pode ser melhor… claro que não têm de vestir fatos em látex. :)

Malta, aquilo que nos dignifica enquanto seres humanos são valores de vida tais como o respeito pela natureza, a solidariedade, a ética moral ou a compreensão e o respeito pelo próximo, tudo isto, é aquilo que nos define enquanto seres humanos. Ninguém é perfeito, eu não sou de certeza mas é dentro desta ideia que gosto de pensar que rejo a minha vida, com falhas aqui e ali mas isso também faz parte da natureza humana, certo?

“Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos.”William Shakespeare

Boa noite!