Voar como uma águia…

DSC06101

 

 

Minuto 57… Lima recupera a bola, conduz o ataque do Benfica, Gaitán remata para defesa incompleta e Lima encosta para o golo. Antes desse minuto fatídico, as mentes dos adeptos benfiquistas giravam a mil rotações…. a confiança ia diminuindo, o fantasma da época passada começava a tomar forma. Entretanto a equipe do Benfica, os seus jogadores, lutavam com toda a alma para contrariar um cenário de assombro.

Época 2012/2013… O benfica lutava, á antepenúltima jornada, pelo título nacional e tinha duas finais á espreita. A antevisão de uma época perfeita estava no seu rubro, o Estoril era o adversário que se seguia. Era só mais um… á espreita estava o Dragão e no fim o moreirense. Todos sabemos o que aconteceu, aquela que seria a época perfeita transformou-se num pesadelo, um filme de terror que assombrou os benfiquistas… até ao minuto 57 do Benfica-olhanense!

Os adeptos voltam a respirar, os jogadores sacodem o passado e a confiança, melhor, o orgulho de se ser benfiquista surge no seu auge… Estranhei o momento do apito final por parte do árbitro Carlos Xistra, não festejei como pensava que o faria… primeiro pensei que era por estar a beber água, estou a sofrer de um joelho e não podia beber álcool. Também não podia saltar, ainda o tentei fazer no primeiro golo de Lima mas depressa me arrependi. Chegado a casa, com mais calma, apercebo-me que não passa por aí, passa sim por um sentimento que já vivi antes, de quando o meu filho foi diagnosticado com a maldita doença que é o cancro. Também não chorei logo… chorei mais tarde, quando me fui apercebendo do que me estava a passar, quando as defesas começaram a baixar. É uma sensação de anestesia e agora sinto-me na mesma… os motivos são diferentes, as emoções também. Sei que vou chorar, não hoje, talvez amanhã ou no dia seguinte mas vai acontecer.

Este minuto 57  significa, mais que a libertação, significa o culminar do pessimismo. Luisão corre com a taça, procura Jorge Jesus, o Seu treinador, e Luís Filipe Vieira, o Seu presidente. Acho que é isto que significa ser Capitão de equipe… os jogadores são heróis óbvios mas existe um mundo por trás desses mesmos heróis. LFV teve, com certeza, noites muito mal dormidas no seguimento do final da época passada. Principalmente no que toca ao seu treinador…. os adeptos queriam sangue, eu incluído. Não dava para perdoar aquilo, o sentimento era de traição e o treinador era o alvo preferido a ponto de muitos (Muiiiitos) terem aplaudido a atitude de Óscar Cardozo, no Jamor! Eu incluído, claro….

No seguimento de todo este desastre, os abutres rondavam, Pinto da Costa aguardava serenamente pela decisão óbvia que haveria a tomar na luz. Dispensou o seu treinador Bicampeão, deixem-me repetir isto, Bicampeão e esperou… esperou sentado pois LFV tomou, talvez, a decisão mais complicada do seu percurso na luz, a decisão menos popular do universo benfiquista que, repito, clamava por sangue. O inicio da época parecia confirmar aquilo que todos os adeptos pensavam, o ciclo de Jorge Jesus parecia ter terminado e uma época de tristeza parecia afigurar-se como um cenário confirmado.

Minuto 57… este é o minuto de Luís Filipe Vieira. Um minuto de coragem, o exemplo de como uma decisão suicida se tornou numa das piores épocas desportivas do F. C. Porto e numa época de glória para o clube que defende como poucos. Os adeptos agradecem, na hora da vitória, todos gritam pelos jogadores, clamam pelo seu treinador, outra vez indiscutível…. Eu clamo por LFV. Ele é o meu herói, o grande responsável por todas as emoções que jorram por esse país fora. Não sei se são 6 milhões mas são muitos, muitos, de certeza. Dentro e fora deste pequeno país…

Não sei como vai acabar esta época mas tenho esperança que os adeptos olhem também para os heróis improváveis daí que este texto significa  o meu “mea culpa”, Presidente, você é o grande obreiro da minha alegria.

Obrigado!

 

UM CHORO SILENCIOSO

natureza

Se, em meados dos anos 90 alguém me dissesse que hoje estaria a viver á beira da 3ª guerra mundial, eu não acreditaria… mas cada vez que vejo os noticiários a sensação que tenho é que andamos sobre fios muito frágeis, muito sensíveis… os atropelos á dignidade humana são cada vez mais frequentes, aquilo que se via na tv nos países sul-americanos e africanos, por exemplo, começa a ser um cenário cada vez mais visto na Europa e isto começa a ser assustador.

Apetece-me dizer que nem Obama, presidente do todo poderoso Estados Unidos e nobel da paz, consegue safar isto… uma das razões para todo este cenário apocalíptico passa pelo escassear dos recursos energéticos no mundo. O petróleo é a base do nosso mundo, ninguém se iluda, se o petróleo acabasse amanhã estaríamos em sérios riscos de retroceder no tempo. Com isto quero dizer que o petróleo permitiu que a civilização evoluísse ao ritmo que hoje se vê… todos os derivados deste produto, que os nossos antepassados bestiais nos deixaram, estão embutidos no nosso dia a dia, se for pegar no carro-petróleo; se for ás compras – petróleo; até se acender a luz em casa – petróleo, petróleo, petróleo….

A questão é aquela que todos vocês sabem pois estamos constantemente a ser alertados para o assunto, o petróleo é um recurso finito, não vai durar para sempre. Há quem diga que as grandes autoridades mundiais têm isso sobre controlo, que haverá maneiras de contornarmos o assunto e que tudo isto apenas serve para encarecer o produto e enriquecer alguns mafiosos. Talvez, talvez não…

O que eu sei é que todos podemos contribuir para uma melhor gestão dos recursos que temos á disposição, vocês sabem, coisas como selecionar o lixo, não deitar lixo na rua, aproveitar horários para ligar máquinas em casa, poupar na água ao lavar a loiça e no banho, enfim, evitar desperdícios que no nosso dia a dia parecem irrelevantes mas que multiplicado por milhões têm uma enorme relevância. Temos inúmeros problemas ecológicos que nos poem literalmente entre a espada e a parede: de um lado a ganância humana, do outro a natureza que se revolta. Para onde irá pender, essa é a questão do milhão de dólares!

Lembrei-me de falar nisto porque tive conhecimento de uma iniciativa que acho muito gira, muito social e, principalmente, global. Como alguns de vós deverão saber, sou um fã da marvel, estou em pulgas para que saia o novo filme do homem-aranha e foi através deste que descobri esta associação á qual a equipe do filme se associou para dar mais visibilidade á Earth Hour. Este é um movimento que tem criado um impacto enorme no mundo, tem a ver com a união das pessoas para melhorar o planeta. Vejam o vídeo que vos deixo, em baixo e deixem-se contagiar… E agora estão associados a um super-herói, que é o que o nosso mundo precisa, de heróis que nos façam acreditar que o mundo pode ser melhor… claro que não têm de vestir fatos em látex. :)

Malta, aquilo que nos dignifica enquanto seres humanos são valores de vida tais como o respeito pela natureza, a solidariedade, a ética moral ou a compreensão e o respeito pelo próximo, tudo isto, é aquilo que nos define enquanto seres humanos. Ninguém é perfeito, eu não sou de certeza mas é dentro desta ideia que gosto de pensar que rejo a minha vida, com falhas aqui e ali mas isso também faz parte da natureza humana, certo?

“Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos.”William Shakespeare

Boa noite!

A caminho da lenda…

eusébio

Sabes, a mais pequena coisa pode mudar a tua vida. Num ápice, qualquer coisa acontece por acaso, inesperadamente, e lança-te numa rota que nunca traçaste, num futuro que nunca imaginaras. Onde te levará? Esse é o percurso das nossas vidas, a busca pelo “Santo Graal”!

Todos nós sabemos o teu nome… inteiro… é daquelas coisas que provam como um homem pode fazer a diferença. Nasceste em Moçambique, costumavas faltar às aulas para jogar descalço futebol com os teus amigos em campos improvisados com bolas de pano. Partiste em direcção a Portugal com  apenas 17 anos e já levavas contigo, além de uma pequena mala, a aura de génio que virias a ser, foste disputado por Benfica e Sporting assim que puseste o pé fora do avião, já em território português! Assinarias pelo Benfica, graças aos deuses, ajudando a colocar o Benfica num patamar de nível mundial. Quando algum dos nossos filhos ou netos nos perguntar: “Porque é que tanta gente gosta do Benfica se o Porto ganha quase sempre?” dir-lhes-ei isto: ” filho, é porque Eusébio jogou pelo Benfica e nesses anos o Benfica foi o melhor clube do mundo.” E se me perguntar porque é que Eusébio foi tão importante, digo-lhe que os grandes jogadores de futebol são aqueles que aparecem nos momentos grandes, nos momentos em que a equipe mais precisa deles. Foste um desses jogadores. Falarei  como derrotaste o super brasil de pelé ou como levaste a selecção e o Benfica aos pícaros do mundo através dos golos que, domingo após domingo, levantavam os estádios por onde passavas.

Foi um acordar triste. Fomos todos apanhados desprevenidos com a notícia da tua morte, agora sabemos o que sentiam os guarda-redes adversários quando viam a bola anichar-se nas redes das suas balizas.  Há mortes que sentimos mais que outras, no que me toca, tirando o choque inicial não creio que seja uma morte triste. Foste brindado com uma boa vida passado os tempos do futebol, viveste a tua juventude como poucos o podiam, naquela altura. Foste homenageado, em vida, pelo teu clube do coração, com uma estátua em frente ao antigo estádio da luz onde tantas alegrias deste aos benfiquistas e viste uma competição ser criada em teu nome. Então e a selecção?

Com a ajuda do wikipédia digo-te o seguinte, fizeste 41 golos em 64 jogos enquanto que no Benfica fizeste 638 golos em 614 jogos. No total da tua carreira fizeste 766 golos. Mas isso já sabias, nunca te vi jogar, com muita pena mas vi-te em imagens que nos foram disponibilizando ao longo do tempo. Mas não posso dizer que te vi jogar ao vivo, isso sim, teria sido algo.

Se tivesse tido a oportunidade de me despedir de ti, de te dar o meu adeus, em vida, dir-te-ia que foste, e continuarás a ser, um herói de gerações. Que todos iremos sentir a tua falta, que morres como homem mas não morres como lenda…. Mas o bom que têm as lendas é que, mesmo depois da morte física,  a sua luz perdura ao longo dos tempos e a tua, “Pantera Negra”, nunca se apagará.

Toda a gente tem o seu destino, nem todos escolhem segui-lo. Eusébio da Silva Ferreira fê-lo…

Boa noite!